top of page

“La révélation Ana Vieira Leite - A Revelação Ana Vieira Leite: No papel-título (Partenope), a soprano portuguesa  Ana Vieira Leite. Postura aristocrática, timbre rico de soprano, musicalidade profunda e inteligência dramática: Uma artista para descobrir.”

(Les Echos, França, 25 de agosto de 2021)

“É necessário destacar o trabalho da enorme Ana Vieira Leite, tanto no seu papel como Belinda como no seu papel nos coros e no breve solo da obra Celestial Music i (...).A soprano portuguesa foi, sem dúvida, a mais brilhante de todas as cantoras da produção, graças à sua subtileza canónica e requinte, com uma vocalidade calorosa, um timbre muito bonito e pessoal, uma dicção extraordinariamente trabalhada e um magnetismo de palco tão poderoso quanto natural. (...) Ela é de uma beleza imponente – de uma delicadeza excepcional na voz, deve ser anotada."

(Codalario, Espanha, 24 de janeiro de 2023.)

A sua estreia no papel-título de Partenope de Händel com Les Arts Florissants em 2021 marcou o início de uma extraordinária carreira de Ana Vieira Leite. Desde então, ela estabeleceu-se como uma das principais jovens cantoras na área de música barroca e já se apresentou no Grand Théâtre de Genève, Opéra Comique e Opéra Bastille Paris, o Festival de Lucerna, Festival de Ludwigsburg, Palau de les Arts Reina Sofía Valencia, Teatro Real Madrid, Gran Teatre del Liceu Barcelona, a Ópera Real de Versalhes e a Philharmonie de Paris.

Os destaques da temporada 2023/24 incluem sua estreia como Créuse na Medée de Charpentier na Ópera National de Paris, papel que mais tarde cantará também no Teatro Real Madrid, Dalinda em Ariodante de Händel na Philharmonie de Paris, O Messias no Théâtre Impérial de Compiègne e um concerto na Salle des concerts - Cité de la musique com árias de concerto de W. A. Mozart dirigidas por Paul Agnew.


Ana Vieira Leite é laureada pela academia "X Jardin des Voix" de Les Arts Florissants e cantou o papel principal em Partenope de Händel na turnê dos conjuntos pela Europa sob a batuta de William Christie na temporada 2021/22 e no Festival de Lanaudière, Canadá, em julho de 2023. Outros projetos com Les Arts Florissants incluíram o papéis de Belinda em Dido e Enéias, Eurídice em Orphée et Eurydice de Gluck e Aminta em Aminta e Fillide de Händel.

She worked with several ensembles as  Les Arts Florissants (William Christie/Paul Agnew), Cappella Mediterranea (Leonardo García Alarcon), Musica Temprana (Adrian Van Der Spoel), Holland Baroque, Le Concert d'Hostel Dieu (Franck-Emmanuel Comte), Les Argonautes (Jonas Descotte), Divino Sospiro (Massimo Mazzeo), Músicos do Tejo (Marcos Magalhães), Ensemble Bonne Corde (Diana Vinagre), Pulcinella (Ophélie Gaillard), Concerto 1700 (Daniel Pinteño), Los Elementos (Alberto Miguelez Rouco), La Spagna  (Alejandro Marías), Il Fervore (Jesús Ruiz), Cappella Neapolitana (Antonio Florio) and  La Grande Chapelle (Albert Recasens).

 

Lançou CDs com  Les Argonautes (Dido and Aeneas - Alpha), the Ensemble Bonnecorde (Lamentationes Hebdomadae Sanctae - Ramée/Outhere,) Divino Sospiro (Morte d'Abel - Glossa) and Concerto 1700 (Amorosi Accenti - Concerto 1700). É membro co-fundador do ensemble La Néréide (Luzzaschi - Il concerto segreto -  Ricercar /Outhere).


Ana Vieira Leite licenciou-se na Haute École de Musique de Genève em 2020, onde obteve o mestrado Licenciada em concerto e recebeu o prémio "Ville de Genève" pelo seu excelente trabalho.

@ SPinto - Sofia Pinto

bottom of page